quarta-feira, 20 de abril de 2011

II Congresso Internacional de Teologia no Mackenzie - Esboço 2




Calvino e a Ação Socio-politica


Palestra dada pelo Dr. Augustus Nicodemus




Retomando a proposta de postar o esboço de algumas palestras do congresso de teologia do Mackenzie, segue a preleção do Rev. Nicodemus.





  • O pensamento de Calvino no âmbito social não pode ser separado nem de sua teologia, nem de seu contexto histórico.




  • Genebra: contexto político antes de 1536 - modelo hierárquico.



  1. Bispo (príncipe da cidade)


  2. Magistrado.


  3. Conselho.



  • Depois que adotou a Reforma Protestante houve uma inversão: o Conselho assume o lugar do bispo, e a Igreja (representada anteriormente pelo bispo) desce para o escalão do conselho.


  • Isso deixa claro que antes de Calvino chegar ali, mudanças sociais já vinham acontecendo (Guilherme Farrel e o Conselho).


  • Mas o que Calvino pensava com respeito a atuação social do cristãos?



  1. As causas das mazelas sociais decorrem do pecado.



  • Pecados sociais daquela época: a) estocagem de alimentos; b) monopólio; c) especulação; d) juros excessivos.


  • Os males sociais eram produzidos por corações corruptos.

2. O conceito de Senhorio de Cristo sobre a vida e a criação.



  • A obra da redenção atinge também o cosmos e a sociedade.

3. A Igreja deve, portanto, servir de modelo de restauração, ainda que parcialmente.



  • Nesse sentido, a responsabilidade social da Igreja é:

A) Ministério didático. Instruir os cristãos com respeito a mordomia. Guardar o dia do Senhor. Repreender o agiota e o vagabundo.

B) Ministério político. Igreja e Estado são instituições que procedem de Deus. Esferas distintas, mas laceadas.



  • O Estado deve manter a ordem; sustentar a Igreja; zelar pela pregação fiel. É importante lembrar do contexto político de Genebra apresentado anteriormente, visto que o Conselho da cidade supervisionava a Igreja. Também o Estado deve zelar pela pregação fiel tornando-a livre.

  • A Igreja deve orar pelas autoridades; adverti-las quando se desviarem do temor de Deus (consciência do Estado); recorrer ao Estado para sanções contra atentados a ordem (Servetus).

C) Ministério Social. Os diáconos devem: a) administrar os bens destinados a comunidade; b) distribuir esses bens; c) cuidar dos doentes.




  • A ação da Igreja assim é marcada pela consciência do Reino, Justiça, Evangelho e Arrependimento.

4 comentários:

Vailson de Sá Rondon disse...

Não entendi o porque de estocagem de alimentos ser pecado, porque isso?
Onde na bíblia fala que isso é pecado? Não compreendi.

Adalberto A. R. Taques disse...

Vailson....
A estocagem era feita para que o preço pudesse subir. Por vezes, os produtores preferiam perder o produto a vender por um preço mais barato.

Adalberto A. R. Taques disse...

Ah... no caso, o pecado em questao é a avareza.

Vailson de Sá Rondon disse...

rsrsrsrsrsrsrsrsrsrs
não sabia desse detalhe, agora compreendi!! ^^